Eu, você e ela RROMÁ DAY Nós, vós e elas.

CONVERSAS NA COZINHA DOS VURDÓNS

Eu, você e ela
Nós, vós e elas.

arte: José Ruiter

Uma situação bem cotidiana por aqui, são as conversas em volta da mesa da cozinha. Por lá, passam os filhos pedindo um lanche, os companheiros que vão dar uma olhadinha e por vezes beliscar, as mais velhas alisam a mesa, na espera de uma boa conversa, as meninas, na ânsia de aprender algum doce ou mesmo de dar uma escutadinha na conversa das mais velhas.

Pela beira do fogão, mulheres se juntam para celebrar casamentos, para desabafar o drama do cotidiano, lembrar e construir o futuro, com suas esperanças embaladas pelos mais variados cheiros, sabores e saberes.

Assim podemos definir as mulheres que pertencem aos Povos e ou comunidades tradicionais.

É nessa imagem e nesse conceito que nos preparamos para o Rromá Day ou o Dia Internacional do Povo Cigano, dia 08 de abril.

E é assim que se constrói uma nação, com mulheres fortes, capazes e amáveis. Esse papel que hoje se constrói no país e em muitos países do mundo, não permitirá retrocesso, nem imparcialidade.

A cultura do ódio é oposta a criação magnifica de um prato suculento ou mesmo um manjar de última hora. Se chamamos de pastel ou pirogue, não importa, se falamos Sarmí ou charuto, Pufa ou pãozinho frito com mel, acabamos nos entendendo. Sempre.

Então, vamos cozinhar pela democracia, trazendo para bem perto do banco, a prof. Priscila Paz Godoy com seu livro: “O povo invisível, os ciganos e a emergência de um direito libertador”, da editora D’Plácito. Vamos fazendo essa ciranda, essa roda, cuja maior inquietude ainda continua sendo o direito a uma existência digna.

localisation Bibliothèque municipale de Lyon / P0701_006BIS_N2260_C307
Malashka zamko et le samovar

Por mim, com você e para ela
Comigo, convosco e por todas.

Cozinha dos Vurdóns


Comentários

  1. Há quanto tempo que conversas acontecem em volta do fogo? Nem sabemos medir essa ancestralidade que está presente no dia-a-dia.
    Bravas mulheres, de grande respeito!
    Beijos assoprados.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa boa ficar reunidos a volta do fogão conversando é isso que torna a vida mais preciosas. Ver a união da família. Minha família é muito pequena sinto falta dessa confraternização. Povo que tem mulheres guerreira e unidas são um povo abençoado.
    Parabéns e que seu povo tenha muitas alegrias e sucesso.
    Bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sejam todos bem vindos.

Postagens mais visitadas