segunda-feira, 5 de março de 2012

A BENÇÃO DA TIA CANDELÁRIA - MULHERES CIGANAS


A Bênção da Tia Candelária
CANCIONEIRO DE SERPA
De Maria Rita Ortigão Pinto Cortez
Edição da Município de Serpa, 1944 


Esta bênção, ouvi-a à Tia Candelária, cigana, que completou 100 anos, no passado dia da Candelária, festejado em Serpa, sob a invocação de Nossa Senhora dos Remédios. Escrevo-a como ela ma disse, numa mistura de português e espanhol.
Santíssimo Sacramento e as três hóstias consagradas, el Divino Señor que 'stá puesto en la Cruz, A Santíssima Virgem do Purgatório e el Señor S. Bento guardem esta niña de noche y de dia, donde quer que vaia!
El Señor te acrescente!
O Santíssimo Sacramento e o anjo da guarda te livrem duma mala lengua, del malo testigo, de un lio, y de todo o mal deste mundo!
E quem te queira malamente, redobrado se la veja las penas em cima del!
Y Nuestro Señor te guie por buenos camiños!
Abençoada sejas tu e a tua família toda,
da boca da Candelária Ciganita! 

*** 

 ASPARGOS  

Por causa da vida sempre em movimento, a maioria dos romani foram obrigados a encontrar o alimento na natureza. Frutas, nozes, folhas e bagas nas florestas e campos ganharam muito significado na cozinha. 
Aqui uma receita simples, mais que junta a simpliscidade do aspargo e a carne de festa - o bacon.

Lavamos 6 aspargos (escolha os mais retinhos, é mais prático para enrolar) retiramos a parte mais branca e fibrosa de sua base e enrolamos, de maneira firme, com 02 fatias de bacon uma para cada 3 unidades de aspargos (não precisa de palito. Você enrola e coloca a última ponta para dentro. Ela segura). Coloque os aspargos em uma frigideira antiaderente pequena com o fundo de água, ligue o fogo e vá virando para que aspargos e bacon cozinhem por igual. Deixe a água secar e deixe o bacon dourar (continue virando para que ele doure por igual).  Não precisa usar sal. O sabor dos aspargos com o bacon fica perfeito assim.
 
 As figuras femininas sempre povoaram a infâncias das crianças, avós, purys, nonas, bhas. Numa família cigana, a inspiração das matriarcas, senhoras que alavancam seus filhos e netos marcam a resistencia das culturas através dos séculos e milênios. São elas as guardiãs da fé, do passado, da história contada em volta da fogueira ou do fogão de lenha. 

A fé que manteve um povo unido e que iguala todas as mulheres do mundo, a fé num mundo melhor. 

Cozinha dos Vurdóns

“Tenho minha casa no vento e, como o mar, tenho no vento a minha glória”. dito rrom.

23 comentários:

  1. Um documento muito interessante! Sempre me interessou a vida dos ciganos, por aspectos positivos e negativos e já li «História dos Ciganos», que me ajudou a compreendê-los melhor!
    Gosto muito de espargos, vou experimentar! E já agora açorda de espargos é muito bom!
    Voltei!
    Beijinhossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voltou e ficamos felizes, O documento realmente tem um foco único, o livro num todo pareceu-nos muito bom. De certo que retrata um pedaço da realidade feminidade, na sua visão mais real, do dia a dia.

      bjs e que bom estar de volta.

      Excluir
  2. Em tempos de ostentação e materialismo, cultivar a simplicidade terá de ser uma prioridade a exigir empenho.
    Obrigada por mais esta lição de vida.
    Uma boa semana para todas!

    ResponderExcluir
  3. que aspargos lindos!!! queria achar uns assim pra comprar por aqui.

    feliz aniversário atradado para tia candelária!
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você nos fez rir Daniel, mas, faça sim os aspargos, com sorte vc achapor aí.
      Quanto a Tia Candelária ... visto ter sido escrito a uns bons anos, acredito que já esteja falecida. O livro vale a pena.

      bjs nossos

      Excluir
  4. Saudade das orações simples que pareciam nos blindar contra o mal e contra as tormentas do mundo. Saudade dos aspargos na chapa de ferro, com manteiga e salvia da bha dinhá. Saudade do sono tranquilo, embalado pelas saias dela.

    Obrigada por esse carinho e pela valorização das mulheres da nossa etnia, que seguraram carroças, pisaram o chão e construiram a força da nação rromá.

    ando Sara.

    Devlesa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, essa tal saudade que insiste as vezes, mas que guarda também muitas coisas boas.

      Parabéns a todas nós zerafim, pisaram o chão e construiram a força da nação Rromá.

      bjs querida, de todas nós.

      Excluir
  5. A recita enche os olhos, gosto de aspargos e muito. Já a reza me emociona ... tenho boas recordações das minhas duas duas avós e com certeza a vida teria sido muito difícil sem elas.

    um abraço bem apertado em todas.

    Sônia Mellim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há dias assim, como diria o poeta Mar Arável.
      Mas se os aspargos te fazem sorrir ... que bom.

      bjs nossos

      Excluir
  6. Mar arável é o título do blogue

    que eu inventei

    Bjs tantos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eufrázio, faltou um DO BLOG ..., apesar de as vezes ter vontade de chama-lo de Mar. Esse foi um complemento do comentário da Sônia no post: UM POEMA NO ALMOÇO, aquele que roubamos a sua poesia.

      valeu os bjs e tantos quanto puderem acompanhar nossas desculpas por algum incomodo.

      Excluir
  7. Gostei desta benção.
    Antigamente as pessoas - as avozinhas - tinham muita fé nestas bençãos e rezas. Não sei se a comparação está correcta, mas sempre me lembro de ouvir uma reza a Santa Bárbara, quando fazia trovoada e O Responso de Santo António, quando se perde alguma coisa. Ainda hoje, eu e as minhas irmãs, quando andamos aflitas por termos perdido alguma coisa, pedimos à nossa mãe para o rezar.
    São coisas que vêm da infância e ficam.

    Este livro deve ser interessante.
    Beijinhos amigos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Isabel, gostei muito do que pude ler. O de Santa Bárbara eu conheço, acho que todas por aqui conhecemos. É um pouquinho de cuidar desse pedaço de tradição que acaba por construir quem somos.

      bjs grandes.

      Excluir
  8. Parabéns!
    Uma oração simples, mestria de quem vive junto ao mar e sabe contar as estrelas!

    Obrigada e beijinhos para todas. :)))))))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana, ela realmente devia saber contar estrelas. Gostei disso.

      bjs nossos

      Excluir
  9. Gostei muito de tudo. Da benção, da receita e das vossas palavras. Não sou de família cigana, mas na minha família também acho que são as mulheres que vão aguentando o barco e o levam para bom porto. Ainda ontem me lembrava com muita saudada das minhas avós e da minha Tia Avó, bem como de outras mulheres, de outros tempos e que já partiram, que marcaram positivamente a minha infância. Bjs a todas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Margarida, assim podemos mostrar que todas as famílias, ciganas ou não, guardam os ensinamentos de mulheres que preenchem e constroem as nossas vidas desde que nascemos. Mais um ponto em comum, contra a discriminação.

      bjs e muitos de todas nós

      Excluir
  10. Sempre por aqui leio e aprendo coisas lindas e sensatas, é como um reencontro com as verdades mais essenciais, aquelas que nos hão-de trazer a verdadeira paz quando chegue a verdadeira tormenta.
    Que espérragos apetitosos e fáceis de fazer! É para já...
    Beijinhos grandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O é pra já significa muito pra nós, tomara que goste.
      E vamos precisar delas sim e de suas bençãos e palavras, a procura de uma tormente mais branda.

      bjs nossos.

      Excluir
  11. As mulheres de todas as etnias,no mundo inteiro,sempre foram as responsáveis pela perpetuação da cultura ,das tradições e da formação dos indivíduos,mulheres que modificaram seu tempo e coletividades...Nós,mulheres até hoje somos os alicerces e a voz que alavancam as mudanças!No seio das famílias,nas casas ou em tendas nós criamos a humanidade,nós construímos o futuro do planeta através da educação,do amor e do trabalho na criação de novos seres...Em nós as sementes do futuro.Em nós,também e,principalmente a formação de almas e de mentes,de respeito e amor pelo Outro.Às vezes,errando,repetimos a projeção de falsos conceitos herdados,como a xenofobia e a agressividade em nossos filhos.Somos co-criadoras e co-responsáveis pelo que virá,pelo que há de ser a sociedade,os indivíduos,no futuro próximo.Lindo post!Benditas todas avós,bhás,phurys,mães que embalaram os sonhos e a infância entre seus braços e próximo ao seu coração!Devlesa!Ando Sara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem o que dizer kalim, apenas que vale seu peso em ouro.

      devlesa por Sara, por nós.

      bjs muitos.

      Excluir
  12. eu quero prova este negocio verde valeu moçada calon rogéroi

    ResponderExcluir

Sejam todos bem vindos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves