terça-feira, 9 de outubro de 2012

FILÉ DE FRANGO DOURADO E SALADA DE PEPINO.



Gypsy children gathering wood.
Arthur Rankley; engraving; 1873


Tempere os filés de frango com flor de sal e alho, reserve. Enquanto isso, corte meia cebola em tiras e um pouco de alho poro também.

Coloque água no fundo da frigideira e encaixe os filés temperados e a cebola. Tampe e deixe em fogo baixo por 5 minutos, depois vire os filés e tampe novamente.

Numa tigela prepare o segredo:

3 colheres (sopa) de mel,
1 colher (sopa) de azeite,
1 colher (sopa) de vinagre,
Salsinha e cebolinha picados,
Ameixa em calda sem caroço e picada.
5 colheres (sopa) de água.

Destampe a panela e coloque a mistura, vá mexendo e fritando os filés, até que fiquem com essa dor dourada. Tudo no fogo baixo. Demora uns 30’, mas vale a pena.


Uma boa salada pra acompanhar é a que leva: pepino, melão e alcaparras. Sal, azeite e folhas secas de cebola.

Os pés de muitas crianças e jovens de etnia romani, ainda estão descalços. Essa semana uma senhora foi expulsa do supermercado onde fazemos a maioria das nossas compras e quando perguntei ao gerente, porque estão tirando ela daqui? a resposta: ela está incomodando os clientes, mas a senhora não se preocupe, estou acostumado com essa raça, não trabalha e não quer nada com a vida, é só esmolar e tirar dinheiro dos outros. Eu disse: o senhor que me desculpe, me esqueci de me apresentar: eu sou uma mulher de etnia romani. O gerente não conseguiu mais olhar nos meus olhos, abaixou a cabeça e saiu, não antes que eu dissesse  o senhor sabe qual a nossa diferença? oportunidade.

Vamos propor que o tema racismo e preconceito  faça parte da formação dos funcionários das grandes redes de supermercado.

Cozinha dos Vurdóns

22 comentários:

  1. Oi cozinheiras lindas e queridas

    Esta receita encheu-me a boca de água, tenho que faze-la, que delícia e que lindo visual tem estes dois pratos, como a visão é o primeiro sentido que desperta os sabores, ela é duplamente saborosa.

    Seu depoimento encheu-me os olhos d'água, dois tipos tão distintos de emoções provocaram estas águas, uma a imaginação do sabor e a outra a imaginação de um mundo onde a oportunidade nunca falte, onde todos pudessem ter escolhas e caminhos menos pedregosos.

    Achei linda a forma como você reagiu à ação do gerente, típico da sensatez e inteligência que possui, o que fez foi dar ao gerente o ensinamento mais eficaz que existe, aquele que não impõe conceitos, mas os confronta e deixa que a própria a emoção provocada pelo impacto do confronto faça a pessoa enxergar a própria atitude claramente, refleti-la e quem sabe aprender uma nova forma de se relacionar com aquilo que ele julga ser algo definido e justo.

    Este homem nunca mais poderá afirmar com tamanha convicção aquilo que afirmou a você, você desfez a convicção dele de que toda uma etnia comporta-se desta ou daquela forma.

    É por isso que os que tiveram oportunidade não podem se omitir, devem se mostrar, devem expor com firmeza e delicadeza suas vitorias e suas conquistas, sem que isto signifique arrogância ou soberba, apenas para afirmar que a condição de uma pessoa não depende de sua etnia, mas como você ensinou ao homem com propriedade, depende da oportunidade, dos caminhos que lhe foram impostos.

    Vamos propor sim, vamos propor tudo que faça as pessoas desempenharem suas funções corretamente sem conduzir suas ações pelo preconceito. É notório a atitude ríspida prejulgando furto,por parte de vigias de supermercado e grandes redes, no trato com pessoas de aparência pobre, negros etc. Estes profissionais precisam ser treinados sim para desvincular suas ações dos preconceitos que carregam.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Van,

      ao longo dos anos, descobrimos que apenas dizer: EU SOU, faz muita diferença, desmonta muito conceito pre estabelecido e gera no mínimo muitas dúvidas.

      As coisas funcionam conosco assim, acreditamos que a paz, o discernimento são armas das quais poderemos nos utilizar para que as coisas mudem internamente, de dentro pra fora e há espaço para todas as formas de reação, essa costuma ser a nossa.

      O pre conceito, a distinção das pessoas por cor, classe ou forma de se vestir, causa muita estranheza em nós, mesmo que saibamos que é assim que a banda toca.
      É apenas não se calar, não se omitir. Isso faz muita diferença.

      bjs e faça a receita sim, fica deliciosa.

      bjs nossos

      Excluir
  2. Respostas
    1. Acho que todos e todas entenderam a referencia que fiz a você no post anterior.

      Passear de braço dado pela calçada, a ouvir poesias.
      Grande senhor.

      bjs de todas nós.

      Excluir
  3. Dizer:EU SOU ROMANI,EU SOU CIGANA,FAZ SIM,A DIFERENÇA!Não devemos esconder e nem calar...Vamos transformar a realidade infame do preconceito!Eu sempre falo para as pessoas a minha verdade:tenho origem cigana,sim!E com muito orgulho!Muitos com certeza irão mudar;haverá alguns que ficarão surpresos; outros irão repensar suas crenças errôneas sobre nossa etnia!E,com certeza,um dia, o cenário do mundo será outro! Parabéns pela deliciosa receita e pelo ótimo texto e imagens!Ando Sara!Beijos salpicados de pó de asas de borboleta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já sabe que o pó das asas das borboletas foi o MÁXIMO.

      Me lembro da Maria, dizendo: todos deveríamos dizer: EU SOU. Queria ver o que aconteceria. Pena que essa disputa é de dentro das famílias também, isso me entristece muito, mas vamos andando, os dois lados tem que andar, sempre.

      bjs querida romli

      Excluir
  4. Olá !!
    Que blog maravilhoso , cheio de cultura , artes e informações , parabéns !!
    Gostei das receitas , vou experimentar fazê-las .
    Parabéns também pela resposta que destes ao gerente do supermercado , Infelizmente preconceito existe em diversas situações , é lamentável .
    Espero que ele reconheça o erro e nunca esqueça de suas palavras .

    Ganhastes mais uma seguidora ... queria tê-los por perto ...!

    Beijoss e ótimas energias !!

    Silvana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vinda a essa cozinha Silvana, uma cozinha que conversa sobre tudo e tenta plantar flores, afinal, as montanhas não se encontram, mas gente sim.

      bj das cozinheiras

      Excluir
  5. Educar com diplomacia... nada melhor!
    Estou certa que o resto do dia do gerente já não se desenrolou da mesma maneira. Ficou a pensar no sucedido... resta esperar que a sua atitude mude!
    Um ponto da favor da igualdade, do respeito e da dignidade.
    Bem petitosos, estes pratos...
    Beijinhos.:))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resta esperar, é isso mesmo Cláudia,
      a luta pela informação contra o preconceito é diária e objetiva, sempre, tem de ser.

      bjs nossos

      Excluir
  6. Esta receita já foi mais do meu agrado, ehehe.
    Não são só os empregados dos supermercados que necessitam de formação, infelizmente ainda há muita gente a precisar dessa formação.
    Desde o 1º ano (está agora no 7º) A minha filha tem um colega cigano na turma (neto do nosso querido sr. Orlando) e nas reuniões da sala de aula com os pais, era sempre o mesmo, "o Alexandre fez isto, o Alexandre fez aquilo" e o coitado do Alexandre muitas vezes não ia sequer à escola.
    O ano passado logo na 1º reunião de pais, uma "lambisgóia" metida a fina, começou a dizer que o Alexandre prejudicava os outros alunos, que era mau exemplo para a turma, e a Carlota fez das suas, mais dizer que fazer, eheh. A reunião acabou e o Alexandre nunca mais foi o mau da fita, pelo menos quenado eu estava presente nunca mais se falou do Alexandre e afinal quem tinha que passar de ano passou e com boas notas e quem tinha que chumbar, chumbou.
    Temos que deixar o preconceito de lado de uma vez por todas, lutar todos os dias essa luta que nos faz acreditar num amanhã melhor.
    Mesmo as tais senhoras que me olhavam de lado há uns anos, já sorriem um pouquito, mas pouco. Mas se me apanham a olhar para os maridos, acaba-se logo o sorriso eheheheheh.
    Agora vou ver o Sr. Orlando que tem cá estado internado e tem tido a minha visita, mesmo com os "quinhentos" companheiros acampados nas redondezas da sua cama.
    7 Beijos brilhantes.
    Nais Tukê!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E com isso amiga, com gestos pequenos e simples, a gente muda a vida de uma pessoa, e isso faz toda a diferença.

      É assim que se ganha a confiança deles, com atitudes, a vida os tornou assim.
      E é isso mesmo, tudo junto e misturado.
      Quando entrar no guardo dele, diga:

      sastipên - saúde.

      um beijo repleto de carinho e de orgulho nosso, pela amiga que Deus nos deu.

      Excluir
  7. Uma proposta a considerar, é claro: vou falar nela!

    "Vamos propor que o tema racismo e preconceito faça parte da formação dos funcionários das grandes redes de supermercado..."

    Devia fazer parte da formação de todos. Esperemos que nas nossas escolas o estejam já fazendo! Por aí se deve começar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Falcão, vamos perguntar também aos gerentes de supermercado e mandar cartas as autarquias e outros locais, perguntando se eles fazem isso, se explicam sobre as formas de descriminação.

      O conhecimento sempre é a melhor arma.

      bjs nossos

      Excluir
  8. Tem toda a razão, amiga! Dizer que eu SOU conta muito e ajuda a mudar muita coisa...
    Um dia ...Bem, vou contar a história de uma turma em que havia muitos meninos "alentejanos".
    Alentejano aqui em Portugal - sim, nesta nesga de terra entre o mar e a Espanha- é para contar anedota: como o mexicano ou o escocês para os ingleses...
    Todos riam desses meninos.
    Um dia eu disse: "Qual é o problema? Eu sou alentejana como eles..."
    E dizia a verdade, porque sou alentejana! nasci no Alto Alentejo, em Portalegre. espantados, entre o sorriso e a dúvida, rindo, responderam: "A setôra? A professora não pode ser..."
    Explique que era, contei anedotas anti-alentejanas e outras que eram respostas dos alentejanos e falámos toda a aula.Querem saber o que aconteceu?
    nas outras aulas TODOS queriam saber coisas do Alentejo e tinha pena de não ser alentejanos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É incrivel como as pessoas sempre arranjam uma forma pra descriminar, pra avançar ao contrário, para diminuir e muitas das vezes isso é feito quase automaticamente.

      Resta-nos lutar com carinho, afeição e sentido contínuo, as coisas mudam, basta tentarmos. É claro que leva tempo, que dói as vezes, mas é tempo de recomeçar.

      bjs muitos de todas nós.

      Excluir
  9. Não sei o que dizer, Amigas.
    Todavia, sei que a vossa luta e defesa pela igualdade de oportunidades é excelência.
    Beijinho especial para todas! :))))))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você Ana, já fez e sei que continuará a fazer pelos rromá. Isso nos mantém vivas.

      bjs nossos

      Excluir
  10. "Se todos fossem no mundo iguais a você!"
    etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desse coração de ouro, forjado nos dias e nas estradas,
      recebo sempre o melhor, o mais belo.
      Se todos tivessem um pedaço do seu coração Maria, o mundo seria outro.

      nais tukê.

      Excluir
  11. eu acho que frango temperado com mel (e sal e outras especiarias normais) combina bastante com páprica picante

    :)

    ResponderExcluir

Sejam todos bem vindos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves