segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

MINI QUICHE DE ALHO PORÓ OU MINI GUIBANITZA SALGADA (UMA RELEITURA DA COZINHA TRADICIONAL)



MINI QUICHE DE ALHO PORÓ OU MINI GUIBANITZA SALGADA (UMA RELEITURA DA COZINHA TRADICIONAL)


Você vai precisar de forminhas – untadas e enfarinhadas – usamos 24 mini formas quadradas.

400 grs de queijo minas frescal – no ralador médio,

1 copo de requeijão culinário,

1 copo de queijo minas curado – ralado,

3 ovos,

3 colheres de sopa de farinha (de trigo ou de arroz), usamos a integral,

1 copo de leite,

10 azeitonas verdes picadas,

Sal a gosto,

2 colheres de azeite ou 1 colher de sopa de manteiga,

1 xícara de café de salsinha e cebolinha picados,

2 copos de alho poro em rodelas – a parte branca,

1 copo de nata fresca,

Alho granulado seco e cebola desidratada – o quanto baste.

Colocamos 2 pimentas de cheiro – sem sementes e bem cortadas.


Mistura-se tudo, tendo o cuidado de deixar o alho porô por último e colocando apenas metade do copo de leite. 
Quando tudo estiver no ponto, ou seja, bem misturado, acrescente o alho porô e a coloque 1 colher de sobremesa de fermento em pó no restante do leite. Misture delicadamente e pode colocar nas forminhas. O perfume é intenso e a massa fica deliciosamente delicada. Vai depender do forno, mas por aqui, leva de 20 a 25’ pra assar, no forno moderado.


Essa receita é uma variação da tradicional. É mais prática e muito mais leve. Pode-se usar presunto e bacon e coisas do tipo, carne moída e daí por diante. Optamos por prepará-las assim. Um jeito simples de levar até a sua mesa uma receita de muitas mesas, por muitos séculos.
 





Pessoas queridas,

As cozinheiras estão passando por um momento muito importante na sua cozinha e por isso estamos mais lentas do que o de costume. Não faltam receitas, nem visitas e nem trabalho, nos falta tempo e a vontade de sermos mais. Os trabalhos tem avançado e por isso conseguimos dar uma espiadela nos blogs, mas nem sempre conseguimos postar.

Perdoem a nossa sumida. Estamos ariando os tacho, fervendo as ervas e amassando o pão. Estamos em meio a livros e legislações, tentando abrir fronteiras, alargar ruas, trazer água e moradia decente a muitas pessoas que precisam sair da escravidão, da escravidão da ignorância e do desconhecimento. A receita é simples, mas falta caráter a muita gente para concluir a tarefa.

É preciso ensinar a direção que dá acesso ao poço de água e a estrada em construção, para que esse cidadão e cidadã de etnia romani, esteja ele no Brasil ou em qualquer outra parte do mundo, consiga exercer seu direito a liberdade, que de forma plena possa compreender de uma vez por todas; que não existem pessoas superiores elas. Que saúde, saneamento básico, alimentação, escola, condição de emprego e respeito pela sua cultura e pela sua casa, seja ela uma tenda ou uma construção de palha ou de alvenaria, fazem parte dos seus direitos e que portanto podem avançar todos os dias na construção de um mundo melhor. 

Que a década de inclusão dos Roma se faça também no Brasil

Cozinha dos Vurdóns




23 comentários:

  1. Queridas amigas,
    Compreendo bem. É necessário que o pão levede e cresça, para tal é preciso a espera e o labor silencioso.

    Beijinho e bom trabalho!:))))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho e pela compreenção. O silencio se faz necessário agora, precisamos compreender os ruídos.

      bjs muitos

      Excluir
  2. Queridas amigas,

    A vossa ausência será mais do que justificada.
    Estão no terreno, e isso é que é importante. Estão a desbravar caminho para que o sol entre...

    Deixo aqui uma canção da autoria do poeta Eugénio de Paiva Freixo:

    MOTE:
    «Cigano de mal andar,
    Quem te dá acolhimento?
    Procuras Pátria e um lar,
    Filho da estrada e do vento...»

    GLOSA:
    Lá por não ter's praia certa,Lá por seres onda do mar,
    Porque te chamam, cigano,
    CIGANO DE MAL ANDAR?!

    Lá por ser's folha sem ramo,
    Peerdida ao sabor do vento,
    De que tens medo, cigano,
    QUEM TE DÁ ACOLHIMENTO?!

    Pois se tu bailas e cantas,
    (Quanta vez, pra não chorar!)
    E, pelas estradas, apenas
    PROCURAS PÁTRIA E UM LAR...

    -Com que direito é que o mundo
    Se ri do teu sofrimento, Cigano, orfão de amor,
    FILHO DA ESTRADA E DO VENTO!?

    Beijinhos e muitas conquistas.:))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia Cláudia, de poema e de canção. Há mais verdade nessas mãos calejadas do que se pode imaginar.

      bjs muitos

      Excluir
  3. ótima receita!

    entendo muito a correria de vocês (tamo junto!!)

    XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. È bom saber que podemos contar com esse carinho. Valeu e torce aí, o ão de queijo não pode desandar.

      bjs muitos.

      Excluir
  4. Adorei as receitas! E adorei também o que escreveram...Desejo em vosso caminho: Baxt, Zor thaj Sastimôs!
    Deixo aqui um trecho de um poema de Cecília Meireles,onde ela fala de suas origens...O nome do poema é ENTUSIASMO,do Livro "Retrato Natural"...Beijos perfumados!

    Por uns caminhos extravagantes,
    Irei ao encontro desses amores
    - por que suspiro – distantes.
    .
    Rejeito os vossos, que são de flores.
    Eu quero as vagas, quero os espinhos
    e as tempestades, senhores.
    .
    Sou de ciganos e de adivinhos.
    Não me conformo com os circunstantes
    e a cor dos vossos caminhos.
    (...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E entre versos, o carnhos nos acolhem e nos dão frça,

      bjs e obrigada pralin.

      Excluir
  5. Vocês possuem o grande dom de emocionar.

    Pareço uma boba com nó na garganta e rosto molhado quando as leio. É por que assistir a entrega de si mesmo emociona.

    As massas nas quais colocam as mãos, são o alimento de que mais a humanidade precisa: Amor e justiça social. Que este alimento fortaleça a muitos, dê-lhes a consciência e a autovalorização necessárias, é mudando a si mesmo que o homem muda a sociedade, muda o mundo.

    A receita vou fazer. Adorei!

    Beijos, admiração e carinho sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOSSA ADMIRAÇÃO É SUA,
      POR ESSA VONTADE DE ABRIR AS PORTEIRAS DO MUNDO,
      E VER O ASTO CAMPO VERDE DE AMOR E POSSIBILIDADES.

      COM CARINHO SEMPRE,

      NÓS

      Excluir
  6. Tenho sentido a vossa falta, mas é por uma boa causa!
    Espero que consigam ir colhendo alguns frutos desse trabalho tão difícil!
    Beijinhos amigos para todas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos sentido a sua falta também, mas a de estar por lá como íamos,
      agora a situação apertou.

      Assegurar direitos, tem nos tirado da nossa zona de conforo e coisas simples já não podemos mais fazer, enfim, vale a pena, sempre vale.

      Estou imensamente cansada, mas muito feliz.

      bjs sempre, e sempre está perto de mim em especial, sou eu que guardo os seus maradores.

      bjs

      Excluir
  7. Pensei que já não me queriam, e afinal...pus-me a chorar de alegria, por serem como são. Que a sorte e a coragem nunca lhes abandonem!!!
    Eu estarei aqui sempre à vossa espera.
    Muitos beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está conosco todos os dias, quando levantamos o cartaz:

      BRASIL ROMANI - EU SOU
      IGUALDADE RACIAL É PRA VALER.

      TE AMAMOS MUITO.

      BJS

      Excluir
  8. Uma receita maravilhosa, já anotei para fazer mais tarde.
    Sucesso nessa jornada. As glorias virão e todos sairão vencedores. Unidos se consegue tudo nessa vida.Parabéns pelo maravilhoso trabalho. Injustiça há em qualquer etnia.
    Bjos e tenha um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que vai gostar, tem um gosto especial e meio a carinha do campo e do fogão de lenha.

      Obrigado pelo carinho e pela força.

      bjs nossos

      Excluir
  9. Aló Marcia, que receitas fantásticas...vou experimentar e depois conto...um abraço de Lisboa!
    Albertina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Albertina, que coisa boa te encontrar em nossa Cozinha! Venha sempre! Há muito o que conversar e trocar sobre a culinária dos Vurdóns e sobre os povos romani. Saudades, minha amiga! Receba o abraço de todas as mulheres da Cozinha dos Vurdóns.

      Excluir
  10. Queridas Amigas,
    Venho trazer a nomeação de Libster Blog Award para o vosso blog que merece toda a minha atenção pela luta dos direitos humanos, pela educação e pela memória de um povo.
    Para o colocar basta passar no (In)Cultura e guardar a imagem do Libster Blog Award.
    9 Beijinhos. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Ana, nem sei o que dizer.
      Vale sempre a torcida em meio a tanta coisa que se apresenta a cada dia.

      bjs de muito obrigada pelo carinho, a amizade e o respeito que tem pelo nosso esforço.

      Excluir

Sejam todos bem vindos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves