domingo, 11 de agosto de 2013

MEU PAI

Não há um só dia,
que não me lembre do senhor.
Botas cano alto,
as vezes gomeira.
Marrons...
Terno panamá,
claro,
relógio de ouro,
crucifixo no peito...

***
Olhos negros,
cabelos negros,
pele morena...

***

Ontem te ví e hoje também,
não importa que em sonhos.
Eu sei,
você sabe...
e basta pela eternidade.


Uma homenagem da Cozinha dos Vurdóns
a todos os pais que já se foram,
levando um pouco do sonho,
deixando um pouco de realidade.



11 comentários:

  1. Uma homenagem bonita.
    Quando o meu pai partiu tinha 5 anos, pouco me lembro dele, mas sei que tenho muito dele em mim, a minha maneira de ser, a minha calma, a minha arrumação, perfeição. Tudo dito pelas manas mais novas dele, minhas tias, eheh. Até a maneira de andar. Eu a pensar que tinha um andar todo sexy e afinal é andar de homem, eheheh.
    7 beijinhos brilhantes

    ResponderExcluir
  2. Resta-nos que fiquem no nosso coração.
    Boa semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Queridas amigas, junto-me a vocês nesta bonita e
    sentida homenagem!

    Em sonhos ou em vigília, estará sempre presente.

    Beijinhos.:))


    ResponderExcluir
  4. O meu partiu vai fazer sete anos.
    Lembro-me dele todos os dias e para mim é como se estivesse algures, onde eu não o posso ver, mas ele sabe de mim.

    Um dia voltaremos a encontrá-los.

    Beijinhos amigos para todas.
    Aqui o dia do pai é dia 19 de Março.

    ResponderExcluir
  5. Oi gente

    Que bonita e doce lembrança!

    O meu já se foi, se foi é maneira de dizer, pois, está e sempre estará comigo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Acho que todas nos parecemos um pouco com ele,
    as vezes parecem com o tecido que envolve o coração,
    outras são malhas de sonhos ou velas de vigília.

    Mesmo que nessa visão escura, não o enxerguemos com nitidez,
    fica a esperança do reencontro.
    Do doce colo de pai, do heroi e do intocável.

    Resta nos a imortalidade da saudade, sempre em nós.

    obrigada a todos,
    nais tukê pain,

    ResponderExcluir
  7. Queridas Amigas,
    Também já não tenho pai e junto-me a esta homenagem bonita.
    Beijinhos para todas. :))

    ResponderExcluir
  8. O meu pai foi a pessoa que mais me quis no mundo, e ser querida assim desde criança até aos 50 anos não tem preço, faz da gente pessoas mais fortes e seguras. Sempre o levarei dentro de mim.
    Tinha saudades, não sei bem de quem , penso que da "matriarca". Penso! Saudades e ciúmes...
    Beijinhos para todas com muito carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu ciúme me envaidece - as saudades posso dividir com as outras. Talvez seja porque pensei muito em tí esses dias. Fazíamos um relatório de nossas andanças e descobrimos que você sempre está perto, segura em nos assegurar o caminho.

      um grande abraço meu,

      bjs nossos

      Excluir

Sejam todos bem vindos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves