ROMANI - A HISTÓRIA VISÍVEL DO PRECONCEITO.




“Até nas flores se encontra
a diferença da sorte,
umas enfeitam a vida,
outras enfeitam a morte”.
Jerónimo Guimarães
brasileiro de etnia cigana.

Há de se pensar o porque das coisas, se as diferenças existem, porque não a aceitamos, porque desrespeitamos?

Na era do conhecimento, o desconhecimento e o preconceito imperam. Durante anos se lutou para construir um nome, uma palavra que representasse a expressão e a identidade de um povo.

Em minutos,  a polícia de Juiz de Fora MG, cria a OPERAÇÃO ROMANI e renega centenas de pais de família a não ter mais como dar sustento aos seus filhos - um ato claro de discriminação e preconceito, de desconhecimento e de informação. Um ato que viola a dignidade e o direito de todo um povo. Como se faz uma operação policial para todo um povo?

 


O Romani (A Língua cigana) é a única Língua Indo-ariana que tem sido falada exclusivamente na Europa desde a Idade Média e cujo vocabulário e gramática estão relacionados com o sânscrito. Faz parte do fenómeno das Línguas da diáspora da Índia, que eram faladas pelas comunidades de origem Indiana que partiram da Índia.
 
*http://www.alterosa.com.br/html/noticia_interna,id_sessao=7&id_noticia=81221/noticia_interna.shtml - TV ALTEROSA É DO SBT
*http://g1.globo.com/videos/minas-gerais/t/bom-dia-minas/v/policia-prende-12-suspeitos-de-aplicar-golpe-em-juiz-de-fora/2016980/ - APARECE ESCRITO OPERAÇÃO ROMANI


A prática, indução ou incitação de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, constitui crime passível de pena de reclusão de 2 a 5 anos e multa, conforme determina a Lei 7.716/89 em seu artigo 20, § 2°.

Já pensaram se fossemos dar esse tipo de informação a todos os desmandos no nosso país??? Num país onde racismo e discriminação é crime, inafiançavel, o que fazer quando a própria polícia e a imprensa usam essa estratégia?

E as centenas de famílias romani ou não, que vivem de vendas de cobertores pelo Brasil afora? Não conseguem mais vender, são apontados na rua, como corja de ladrões.


É hora de repensar...urgentemente.
O preconceito e a discriminação passam pelo silêncio, denunciem - Direitos Humanos/disque 100.

Cozinha dos Vurdóns

Comentários

  1. Paradoxalmente, em plena era da informação, cada um pensa cada vez mais no seu quintal. E, quase sem me dar conta, Brecht vem-me à memória:

    Primeiro levaram os negros
    Mas não me importei com isso
    Eu não era negro

    Em seguida levaram alguns operários
    Mas não me importei com isso
    Eu também não era operário

    Depois prenderam os miseráveis
    Mas não me importei com isso
    Porque eu não sou miserável

    Depois agarraram uns desempregados
    Mas como tenho meu emprego
    Também não me importei

    Agora estão me levando
    Mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém
    Ninguém se importa comigo.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é isso que acaba por nos mover. O silêncio faz com que a falsa segurança do seu quintal te embale os sonhos ... até que virem pesadelos.

      Os movimentos voltam, estamos tentando mudar o curso do rio, eu sei, mas como acreditamos que a nascente permanece fiel a lei igualitária da natureza, vamos atrás de derrubar barreiras e construir pontes.

      Brecht ainda está certo.

      bjs nossos, querido AC.

      Excluir
  2. Estive a ler a notícia e a ver o video.
    A forma como a notícia é dada é ainda o reflexo do que é a sociedade.
    Vai levar tempo a mudar.
    Beijinhos para todas e continuemos a acreditar num mundo mais justo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste sociedade, que sempre apresenta o pior dos reflexos, a ignorancia, o preconceito e a insensatez, esse é o ponto Isabel, concordo com vc, mas gostaria de coração que certas batalhas se travassem em campos não governamentais.

      bjs nossos

      Excluir
  3. Saudades de passear por aqui... bj grande e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  4. Caras amigas,

    Algo precisa ser feito para que os romani não paguem pelo preço do desconhecimento. Há muito o que se fazer, mas é iandimisível tudo o que vem acontecendo, Bahia, Espírito Santo, Maranhão e Santa Catarina, agora isso.

    Vou discar sim, algo deve ser feito, ouvi as notícias vindas do pessoal que não consegue sair pra vender mais o material, as panelas e colchas. Ando Sara, um beijo carinhoso para cada uma de voc~es, sei que nessas horas os "amigos somem", contem com mais alguns por aqui.

    zerafim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida e cara zerafim,

      sabemos que podemos contar com você, mande para a sua lista, divulgue e instrua. A ignorancia realmente é a mola mestra de tanto absurdo.
      Já estamos tomando pé dessas outras situações e assim que tivermos material, vamos denunciar publicamente.
      Mais uma vez, obrigada pelo carinho e pela atenção. Ando Sara, sempre.

      bjs nossos

      Excluir
  5. Sastipê,queridas!Que revolta me deu este injurioso e preconceituoso artigo!Como se no Brasil o roubo e a mentira não fossem uma atitude habitual entre a maioria dos políticos e a má fé não existisse em todas as raças!!!Os ciganos são sempre o bode expiatório! Tenho andado bastante atarefada com as psicoterapias(minha profissão) e também com o Drabarimôs(nossa tradição,meu orgulho!!),além de estar envolvida com a pintura de duas telas grandes representando ciganas que vou dar de presente para duas amigas(casamento de uma,aniversário da outra).Além disso,tenho aulas de canto e de piano...Claro que ainda curto meus filhos nas horas vagas,o meu Amor , minha gatinha e meu cachorrinho...rsrsrs.Frequento tb meu Centro Espírita,pois sou médium.Agradeço a gentil visita ao meu blog e tb os comentários tão preciosos e amigos!Nunca esqueço de vcs,estão sempre em meu coração!Me perdoem,portanto,as ausências,que não desejo mas,que não tenho conseguido evitar!Deixo-lhes aqui centenas de beijos polvilhados de pó cintilante de estrelas e de raspas de luar com açúcar! Que as bênçãos de Sara desçam sobre vossas almas!Devlesa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro que bom que está bem, segundo, não, não encha seu coração de revolta, coloque nele esperança e lucidez, é disso que precisamos para levar informação certa a todos.
      Tem sido difícil por aqui também, mas vamos conseguindo, devagar...

      bj muitos, as telas devem estar lindas

      bjs

      Excluir
  6. A vida não é justa, nem com as flores, nem com os homens nem com nada. Precisamente por isso, como diz a Zerafin, ALGO PRECISA SER FEITO. Sempre.
    Contem com os meus beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos precisar de todos maria, de força e de fôlego, de carinho e afeto, vamos precisar de anjos e querubins, vamos precisar de beijos, afetos e canetas ... algo será feito.

      bjs nossos.

      Excluir
  7. Amigas Vurdóns,
    Não conhecia o poema das flores, nunca tinha pensado sobre a sua mensagem. Até nas flores, que despertam a beleza, a diferença exite!
    Vou pensar.
    Sublinho o comentário de Zerafim.
    Beijinhos 9. :))))))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso Ana, respeitar as diferenças, respeitar a cultura, educar, cobrar e fazer valer direitos e deveres.

      Mas, colocar no barco todos, isso é realmente inadimissível.

      bjs nossos.

      Excluir
  8. Pois é, a descriminação existe e muito e em várias situações. Estamos a criar uma
    sociedade da indiferença, do vazio, da maldade.
    Vou levar o texto do Jerónimo Guimarães que gostei muito.
    Um beijinho e muito obrigada pela sua visita.
    Ando em mudanças, muito pouco tempo para estar no computador.
    Bj.
    Irene

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa mudança, mudanças são sempre uma fonte de renovação.
      Leve sim, também gostamos muito desse trecho de poema.

      E vamos continuar lutando contra esse vazio, essa maldade e indiferença.

      um bjs e obriagda por vir.

      Excluir
  9. Quando penso quanto é maravilhosa a diferença do Mundo, fico espantada com o "suicídio" dos humanos! Somos todos dedos da mesma mão, ou pé, ou cabelos da mesma cabeça, areias da mesma praia...
    Por quê odiar? Ter preconceito de raça ou cor? Por quê não aceitar apenas, procurar entender o outro, na sua diferença?
    A vida custa a todos, é tão dura para alguns, como deixarmos que se faça essa diferença, que se permita excluir do mundo dos homens outros homens?
    Nunca me cansarei de protestar! Nunca direi "é assim..." porque não quero!
    Pus no Facebook, repassei: é o que posso fazer! O peso não deve cair só em cima dos mesmos ombros....
    Um beijão do tamanho do mundo para as 7

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Falcão, diga não a OPERAÇÃO ROMANI, a esse absurdo do desconhecimento e da imprensa, essa ignorancia que estampa os jornais e a televisão de vários estados e cidades Brasileiras. Uma luta que começou em 1971, depois de tanto sofrimento, a condenação horrível referente a todo um povo. O erro deve ser punido, mas se um policial erra, todos não prestam?

      Essa é a lógica?

      bjs nossos

      Excluir
  10. Um povo que já sofre tanta descriminação, notícias destas não ajudam nada. Bem pelo contrário.
    Mas os telejornais vivem é destas notícias e vão assim ajudando a formar mentalidades da pior maneira. E, uma vez formada uma opinião, depois é difícil de a remover.
    Urge mudar mentalidades!!
    Beijos para todas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis um desfio: Mudar mentalidades, vamos lá, mãos a obra.

      Quanto a imprensa, prefiro acreditar nos que ainda fazem um trabalho sério, vamos tentando, acho que uma sensibilização cai bem.

      bjs e sempre obrigada e bom verão.

      Excluir
  11. Amigas,
    Ainda têm muito para fazer. Conto aqui uma história que hoje me aconteceu.
    Em Coimbra estão a decorrer as festas da cidade que estão ligadas à Rainha Santa Isabel. Este ano deixam visitar o túmulo e ver a mão da Rainha. Estava muita gente. Cá fora andava um menino cigano que me pediu dinheiro. Vi-o quando regressava pela segunda vez ao mosteiro porque perdi a carteira. Disse-lhe e perguntei-lhe se tinha visto a minha carteira, explicando que não lhe podia dar nada. Ele foi queridíssimo. Entrei e por acaso por bondade alguém entregou a minha carteira (tinha lá pouco dinheiro, mas os documentos eram o meu desespero). Fiquei feliz. Perguntei ao Samuel se queria que lhe tirasse uma fotografia, sorriu logo e tirei, para a semana vou lá entregar. Ele estava a ajudar a varrer as escadas da igreja. Perguntei-lhe se queria tirar uma fotografia com a mãe. Ele disse logo que sim, o problema foi que a mãe não quis tirar por causa do marido. Ele falou-lhe numa língua que desconheço. Tentou, tentou até que eu perguntei:
    - Tem medo que o seu marido não goste? Respondeu que sim.
    Podia ter ficado com uma foto dela com o filho (com cerca de 14 anos) mas o medo não permitiu.
    Por favor ajudem a mudar isto! Eu não a consegui ajudar. :(

    9 beijinhos e obrigada por existirem! :))))))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos dizer não, a cultura do medo Ana, obrigada você por registrar esse rosto e esse futuro, esse menino que deve ser lindo e que tenta de alguma forma escapar desse desrespeito e desse absurdo que é a sina do cigano no mundo.

      um beijo enorme de todas nós. obrigada por estar sempre perto.

      Excluir
  12. eu adoro Minas, mas esse tipo de notícia dá uma vergonha.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo daniel, dá vergonha mesmo.

      bjs nossos

      Excluir

Postar um comentário

Sejam todos bem vindos.

Postagens mais visitadas