sexta-feira, 15 de junho de 2012

ASSISTAM O VÍDEO E PENSEM


Esse é um pedido nosso. 
Diga não a Xenofobia, diga não ao preconceito. 

O vídeo que se segue, traz uma verdade que sempre deixamos passar, parece até engraçado para alguns, para a grande maioria, parece verdade absoluta.
Jornalistas são formadores de opinião, entretanto podem ser ignorantes também. 

 
São matérias assim que estigam o ódio e a falta de informação.

Quando retratamos os braços do preconceito é disso que falamos, dessa brincadeira impune e sem graça, desse desconhecimento absurdo, dessa ignorância plantada e cultuada, dessa forma de desrespeito que atinge a maior minoria étnica dos países onde habita. 

Essas mulheres somos todas nós. Em toda nação, país ou povo existem os certos e os errados, com os romani não é diferente. E o sr. Luciano mostrou de que lado do jornalismo está.




O povo romani vem; através dos séculos; acumulando perseguições, famas malditas, falsas conversas e um histórico de discriminação que deixaria qualquer um assutado. Míséria, guerras e perseguição, fome e assasinato.

Ao sr. em questão, desejamos apenas os nossos mais profundos sentimentos, porque toda xenofobia, preconceito e descriminação, deixa aparente uma doença de alma e de carater, precisa ser muito corajoso para derrubar tais barreiras ... oxalá seja.
Caro sr. Luciano Faccioli, a nossa mão, a palma da nossa mão, mostra mais do que o sr consegue ver. O sr. envergonhou a classe de jornalistas sérios.

Publicado em 10/06/2012 por KaliandraKali
Reportagem veiculada na rede Bandeirantes, no dia 18 de abril de 2012 no Primeiro Jornal, onde o sr. Faccioli declaradamente demonstra seu preconceito e falso preparo enquanto jornalista, expondo uma etnia já bastante perseguida em vista de um fato isolado. Chega de preconceito. A televisão opera sempre a sua maneira, manobrando a opinião pública, fazendo de um apresentador um juíz e verdugo. Acorda Brasil!!!!

Homeopatas dos pés Descalços
Preconceito é doença. 

Cozinha dos Vurdóns
Porque devemos escolher quem divide a refeição conosco nessa vida.

18 comentários:

  1. Estamos muito artrasados ainda, muito, muito, muito. É a única conclusão a que se pode chegar ouvindo a esse locutor com tão pouco nível. Enquanto pessoas assim possam estar onde estão, é porque algo falha neste nosso absurdo sistema.
    Ouvir a esse tipo desmoraliza, os ciganos têm mais dificuldades para demonstrar a sua valia pelo facto de ser ciganos, e isso já não é admissível, no século XXI.
    Quando um cigano falha, tem que começar a falhar como pessoa, não como cigano, já cansan estes estereotipos tão pouco inteligentes.
    Ânimo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, você nos acalma, e sempre nos diz que não estamos loucas diante dos absurdos que estamos presenciando ultimamente. È pelo ânimo que lutamos, porque as vezes dá preguiça desse tipo de gente que acha que a câmera de tv é quintal da casa ou parte do banheiro privado.

      bjs nossos

      Excluir
  2. Dizer que a maconha é leve é , no mínimo inocência, pois se é leve porque vicia e porque se quer usa-la?
    A desintoxicação feita em clínicas especializadas custa muito caro, nem todo usuário de droga tem meios de custear o tratamento e acabam morrendo por uso continuado. Naturalmente, com a liberação havera o aumento no uso das drogas, como está acontecendo, nos paises em que ela foi liberada, daí, como vamos e com que dinheiro iremos enfrentar os “intoxicados”?
    Além do óbvio ululante de que os países que liberaram o uso de drogas, como Holanda, por exemplo, têm uma cultura diferente da nossa e já esta enfrentando sérios problemas com a liberação.
    Mas, alguns querem as drogas livres, sob a alegação de que a droga deixaria de ser um problema da polícia para ser um problema de saúde pública.
    O principe dos sociologos ex presidente Fernando Henrique Cardoso é um deles. Aliás, como historiador e sociologo defendeu o socialismo com inúmetros livros, artigos, palestras e aulas e no governo nos impôs um capitalismo em que estamos vivenciando e vivendo. Será que no decorrer de sua vida, inclusive “atuando” como político, não foi possível ao ex presidente FHC descobrir que o sistema de saúde pública em nosso país está falido? Será que ele nunca soube de pessoas que morreram nas filas do Instituto Previdenciário para tentar conseguir uma ficha para ser atendido por um médico? Será que ele nunca soube de pessoas morrendo em portas de hospitais por falta de médicos, falta de vagas para internar ou morrendo nos corredores de Pronto Socorro por falta de recursos para atendimentos de urgência?
    Diz, ainda FHC que “para desestimular o consumo, combater a venda ilegal e a violência é preciso que haja uma ação internacional”, e assim transformaria o que hoje é um caso de polícia em problema de saúde pública.
    O ex presidente está sofrendo de algum distúrbio de coordenação de raciocínio por sua incoerência. Vejamos o que declarou: “O que eu defendo, sem nenhuma certeza do que pode ser definitivamente eficaz, é que a liberação num plano internacional, com um acordo internacional com todos os países se submetendo ao novo status e se comprometendo a combater o uso e a desestimular o consumo de drogas, a liberação faria desaparecer este problema policial que temos hoje, transformaria o caso de polícia em problema de saúde pública, como é o caso do álcool, que não é uma droga proibida e que é um problema de saúde pública e não um problema policial”. Como defender uma tese que pode não ser eficaz e como combater algo que está liberado? Desperta de seu “sono” e aposenta FHC.
    Ora, estamos tentando de todas as formas coibir os efeitos do alcool com leis cada vez mais rígidas pois como iriamos voltar atrás agora e proibir o uso do alcool e do cigarro? Mas não, somos idiotas e queremos criar mais um problema para a saude publica, para a segurança publica e para todo o país com a liberação de mais uma droga.
    Liberou? O consumo aumentou e só os inocentes uteis e que podem pensar que o tráfico ira diminuir.
    Em que país esta atualmente FHC? Qual o benefício cultural que a liberação da droga dará ao país? Que oculta FHC em toda essa insistência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro ropreso,

      concordo com voc~e, ou melhor, concordamos, nossa realidade é bem diferente e achar mais trabalho para a saúde caótica é brincadeira. Mas acho ue postou no link errado. de qualuer maneira foi um prazer tê-lo por aqui.

      com carinho,

      cozinha dos Vurdóns

      Excluir
  3. Olá,

    Como é desconcertante assistir à ignorância gritando com ares de supremacia e veracidade, como me envergonha ouvir este jornalista que detém tanto poder em suas mãos, por ser um formador de opiniões ao falar para milhares de pessoas em sua maioria também ignorantes e possuidoras de pouco senso crítico.

    Delitos são delitos, passíveis das punições cabíveis, o que não cabe é associar o delito à um povo, quando sabemos que toda etnia que habita nosso país tão diversificado em raças e povos está sujeito a ter cidadãos cometendo crimes ou fraudes, e cometem.

    Todos sabemos, inclusive o próprio jornalista que protagonizou este absurdo, sabe que, não é a origem de um povo que que o faz criminoso ou honesto,isto decorre de cidadão para cidadão, mas mesmo sabendo disto, aproveitou-se da fragilidade de um povo já muito atacado e por isso mesmo enfraquecido, para exercer seu sadismo, suas piadinhas que ele deve ter julgado agradar muito a seu público.

    Quem dera a fraude no Brasil fosse decorrente somente dos atos de alguns pertencentes à etnia Rom. Quem dera!

    Abraços!

    Ps: Não desanimem, não se calem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Van,

      As vezes nos repetimos ao dizer: A LUZ DO CONHECIMENTO, mas é isso. A ignorancia é tão alta que acabamos por desistir várias vezes, mas temos de ajudar a mudar essa realidade, seja junto ao poder público, seja junto a sociedade. Quem dera fosse só esse o desconforto do nosso país, falaste bem, quem dera.

      Não iremos desistir e nem nos calar, obrigada pelo carinho e pelo apoio.

      bjs de todas nós.

      Excluir
  4. Amigas Vurdóns,
    Ah! ... Fiquei chocada com a falta de conhecimento, de sensibilidade e de civismo.
    Li isto na net que talvez devesse chegar ao jornalista:
    "Acredita-se que desde o princípio da Humanidade já se usava a leitura das mãos para conhecer o futuro. No entanto, foi na Antigüidade que se encontraram fortes evidências de sua existência, principalmente na China, onde ainda hoje é usada na Medicina, e no Egito, onde os faraós não travavam uma guerra sequer sem antes consultar seus magos e saber o que o destino reservava ao seu povo".
    Desculpem deixar este registo mas foi o que me ocorreu depois de ver o vídeo.
    A vossa luta ainda tem muito para fazer e eu vou acompanhá-la.

    Beijinhos. :)))))))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Ana, essa é uma estrutura cultural e não dogma de fé. Pena que muitos estudiosos (nem eles) sabem disso.

      A cultura de um povo, deve ser respeitada e esse povo deve se inserir no contexto de responsabilidade que cabe a cada um, a cartomancia também revela esse traço, as mãos, os búzios, o tarô...pertencem a história da humanidade e não só de um povo.
      Será sempre bem vinda nessa caminhada.

      bjs nossos

      Excluir
  5. Subscrevo inteiramente as vossas palavras. A própria apresentação da notícia é muito pouco isenta, com referências repetidas à etnia cigana, como se isso acrescentasse alguma coisa à informação. Por fim, a intervenção do jornalista é do mais lamentável e incorreto que já vi na televisão. Aliás, estou certa que a ordem profissional dos jornalistas brasileiros deve reprovar esta atuação, uma vez que contraria os mais elementares preceitos da ética e deontologia (para já não falar do respeito pelos seres humanos).
    A denúncia é, sem dúvida, um imperativo.
    Um abraço enorme e solidário com a vossa perplexidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A denuncia sem dúvida é um imperativo R, e se torna urgente que a façamos. Os casos se multiplicam, mesmo com o fato de no Brasil o preconceito e a discriminação serem crimes inafiançaveis, acreditamos que ninguem solicitou a prissão desse senhor ou o colocou sob as lentes de um promotor público. A própria emissora que pertence a uma vertente religiosa, da qual vários cidadãos e cidadãs são de etnia cigana ainda não se pronunciou abertamente.

      Quanto a classe de jornalista, espero que dentro dela mesma se faça a divisão e tal senhor perca a condição absurda de colocar a público todas as suas ignorancias como sendo verdades absolutas.

      um abraço de todas nós e boa semana.

      Excluir
  6. É o tipo de jornalista que se acha muito engraçadinho a fazer piadas humilhando os outros. Acredito que é do tipo que as faz com quem está a jeito e desta vez calhou serem os ciganos. Infelizmente este e outros do género são ouvidos por muita gente e ajudam a formar opiniões. Isso é que é grave.
    Acredito que às vezes desanimem e se sintam cansadas. É lutar contra a maré, mas pouco a pouco há-de haver alguma mudança.
    Beijinhos para todas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabel, no fundo é mais uma tristeza, de um lado a fome e a miséria, do outro a intolerancia e a ignorancia. Não é apenas num flanco que lutamos, mas em todas as direções.
      Ter que assistir a isso, como haviam famílias sentadas a frente da televisão, é triste e perverso.

      Pena existirem pessoas assim em locais de relevancia para toda uma geração.
      Mas vamos remando, adelante, sempre, pois esse é um caminho sem volta.

      um bj de todas nós.

      Excluir
  7. Tudo isto se resume a um profundo desrespeito por outro ser humano. Um ser humano que, na realidade, já se "instrumentalizou" no discurso do jornalista e, por isso, já não é uma pessoa, é uma entidade abstracta.
    Merecia uma acusação séria, sim.
    Um abraço para todas e a minha solidariedade.

    ResponderExcluir
  8. Sara, entidade abstrata foi muito bom, encaixou como uma luva.

    Quanto a acusação estamos vendo isso.

    um abraço de todas nós e obrigada pelo carinho,

    ResponderExcluir
  9. Tanta ignorância me dá um imenso cansaço!A falta de sensibilidade,o orgulho,o desconhecimento da história humana e da diversidade das culturas,a falta de amor ao próximo e a aceitação do que é diferente,a falta de consciência de que somos todos iguais em nossa fragilidade humana...Ah!Quanta mesquinhez!Mas,vamos andando "adelante",pois caminhar é preciso.Que Sara nos dê forças e coragem redobrada diante dos obstáculos!Beijos e forte abraço! Devlesa!

    ResponderExcluir
  10. Concordamos com vc em cada palavra. Adelante, eis a palavra chave.

    bjs nossos e saudades querida,
    espero que esteja tudo em paz.

    ResponderExcluir
  11. O senhor jornalista não deu a notícia toda. Esqueceu-se de referir que muitos ciganos não tomam banho, pois não têm casa, nem quarto de banho, nem água, nem luz... vivem em tendas, sem as condições mínimas! Um esquecimento sem importância...
    Este tipo de mentalidade é assustadora, e mais assustadora quando proveniente de pessoas que têm a obrigação de ter outro tipo de mentalidade e de postura.
    É fácil criticar e apontar o dedo, mas não se dão ao trabalho de compreender as razões.
    Vivem felizes com a sua estupidez, ignorância, maldade e crueldade.
    Certamente que não se olha ao espelho... Já não deve ter!
    Que comportamentos destes sejam motivo para lutarem ainda mais, pois significa que há muito trabalho para fazer!!
    Coragem. Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é por esse motivo Cláudia, de esperarmos muitas vezes o mínimo de quem poderia dar mais a sociedade como um todo é que nos assustamos tanto. Esses são os largos braços da ignorancia e do preconceito, portanto devemos mirar em tudo, Universidades e escolas de primário, a câmara dos deputados e a padaria. O desconhecimento é geral.

      bjs muitos e obrigada pelo carinho e pela força.

      Excluir

Sejam todos bem vindos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves