domingo, 3 de junho de 2012

NOSSO CARDÁPIO: REFLEXÃO, PAUSA E TRABALHO.

Nossa receita de hoje: refletir...

Tem sempre um dia em que o mundo aparece em tons de cinza.
Num turbilhão de 3 dias, a cultura do medo, o desconhecido, a vaidade, a cultura do poder e da arrogância, os olhos da esperança, a surpresa das realidades. Uma verdade que ficou a mostra. Pessoas, seres humanos diante de suas opções e como que clareadas pla lua, os disfarces cairam.

Acredito que nos esquecemos as vezes dessa regra básica da vida: do que adianta tanta arrogância, tanta prepotência?  A vida passa, a gente se vai e todo mundo um dia tem que ficar frente a frente com seu mundo, sua vida e sua estrada.

No final do dia, sentada no avião, na hora do vôo de volta pra casa, um “boa viajem” para a vizinha do lado e silêncio. Quando desembarquei, minha mochila de mão estava leve, mal podia sentir meus passos, mas meus olhos voltaram outros e o meu coração também.

Comigo e até pela profissão, tinha a obrigação de mastigar e digerir umas 50 pessoas diferentes, seus olhares e suas expressões. Fiz isso a vida toda, mas profissionalmente faço isso a mais de 20 anos. Tive de fazer isso agora e por isso o silêncio nos comentários de vocês que tanto gostamos e admiramos. 

Na minha bagagem vieram sorrisos de quem antes nos odiava, surpresa de quem antes desconfiava, ternuras inesperadas, abraços cheios de saudade, projetos inacabados, mágoas antigas, denuncias, injúrias, perseguições e misérias. Desejei o dom da bilocação.

São relatos de uma cultura que vem sendo massacrada e perseguida. Pelos de dentro e pelos de fora. Tudo é verdadeiro e único – a cultura da arrogância. A ignorância impera como via de regra. Um povo que desconhece seu povo, um povo a quem o mundo desconhece, ignora e trata como se fossem um animal raro, a beira da extinção.

A tradição está morrendo, as barracas estão sumindo, a cultura de vender o que dá dinheiro, o medo da exposição, as transgressões as regras, a exploração sexual, a morte prematura, a fome, as surras, as ameaças. Não há brilho, existe apenas realidade. Trabalho e confiança.

Voltei feliz em perceber que muitas coisas ficaram claras, que existem mulheres de bem, lutando pelas pessoas, entendendo o caminho e construindo as possibilidades. Poucos compreenderam o que aconteceu nesses dias, alguns se assustaram e fugiram. Outros perderam a reação, tentaram impor sua vontade e sua idéia, seu grito e sua doença. Ficaram sós e não conseguiram enxergar isso.

Vi um império começar a ruir e começamos a colher sementes. Daqui a 40 anos, talvez nem estejamos aqui, mas os campos do Brasil, serão fartos, disso trago a certeza.



Obrigada aos que choraram por dentro, sorriram por fora e logo em seguida começaram a trabalhar. Não porque pediram, mas porque é preciso.

 Cozinha dos Vurdóns

18 comentários:

  1. Eu hoje estou um pouco confusa, porque acho que me escapou alguma coisa...
    Penso que não deixei falhar nenhum post...
    Mas de qualquer maneira parece-me que uma parte de si vem satisfeita e realizada e outra vem triste.
    Mas o que importa é que há uma parte positiva e quando há algo positivo, já valeu a pena!

    Deveriamos todos ter sempre presente que viemos todos do mesmo lugar e a ele voltaremos. Isso faz de nós seres iguais.

    Beijinhos amigos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parecemos diferentes não é Isabel? Lidar com denuncias as vezes nos silenciam a fala, mas nos revoltam a alma.

      "Deveriamos todos ter sempre presente que viemos todos do mesmo lugar e a ele voltaremos. Isso faz de nós seres iguais" - quando se trata de discrinação e preconceito essa luta se torna diária, por dia, por minuto. Algumas coisas não deveriam mais acontecer, mas acontecem, algumas realidades são escondidas, até o dia em que transborda tudo. Chegamos nesa hora, na hora em que transbordou.

      Já valeu a pena sim, obrigada pelo carinho.

      Excluir
  2. Sastipê,minhas queridas companheiras de ideais e estrada!Que vossa luz e compreensão continue cintilando nas trevas densas do ódio,da ignorância e do preconceito(fruto desta última) e suavize todos os caminhos!Que Sara nos dê a justiça e o amor,a união e o respeito mútuo!Que a sua ternura de mãe nos envolva a todos e nos clareie a rota e o destino!Um infinito abraço,cheio de meu carinho as envolva a todas!Devlesa! Ando Sara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como clareou Cezarina, até doeu a vista, mas tinha de ser assim. Vamos em frente, já que montamos no cavalo, agora é seguir estrada a dentro.

      bjs muitos querida amiga

      Excluir
  3. A vida é bem complexa e exigente, não é mesmo? Cheia de variações, de contradições, de felicidade e frustração. Concordo convosco: para lidar com todo este vendaval, há muitas vezes que parar e "fazer contas à vida", esperando contar com saldo positivo.
    Deixo aqui os meus votos de que o vosso saldo seja sempre muito positivo :))
    Beijos de cá para todas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E há outro lado nisso tudo Sara, quando nos deparamos com pequenas frescuras nossas no dia a dia, passa a ser tão ridículo. Dá até vergonha.

      No revés sabemos que iremos avançar, visto que ao depararmos com tais situações, muitos entraves foram vistos a luz do dia, entendemos o porque. Agora é trabalhar para esclarecer. Espero que o próximo vendaval nos dê tempo de respirar.

      bjs nossos e torça sempre por nós, aquece o coração da gente.

      Excluir
  4. Fiquei um pouco como a Isabel. Será que me tinha escapado algo?
    Quando os nossos olhos olham, sem ver, quando o nosso sorriso sorri, mascarado, mesmo até quando da nossa boca saem palavras que ninguém ouve, é importante não nos deixarmos ir abaixo.
    O 1º passo foi dado, já nada pode voltar atrás.
    Vai ser doloroso o caminho? Vai!
    Mas para essa travessia, encontraremos sempre alguém que nos ajuda, que nos sorri, que nos diz "bom dia!" e nos dá a mão.
    Um sorriso para vós, para todos os que aqui vêm beber um pouco da vossa magia.
    Nem tudo é bonito. Pois não.
    Por isso nos encontrámos aqui, e aqui vimos todos os dias e tentamos fazer a diferença acontecer.
    Nais Tukê
    7 beijos brilhantes que iluminam a minha noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, gosto muito dessa sua força e do seu carinho, nunca mostramos apenas o bonito, a denuncia sempre foi nosso tema, mas é claro, elevada a mostrar as possibilidades. Gostei do seu sorriso,irei guardá-lo. Me lembro da Ana, quando tirou as fotos da senhora morando embaixo da ponte, me lembro do seu e-mail, estava muito triste.

      Nossa magia podia tocar o que ouvimos e mudar o mundo, sempre quiz ter o nariz da feiticeira e mexer e fazer as coisas acontecerem.

      Mas ainda vejo em tons de cinza. E vamos a mais uma luta amanhã. Tô tomando birra de saltos altos e roupa de marca, quando o assunto é violência e morte de mulheres e crianças ciganas. Eu verdadeiramente espero que possamos ser um pouco da diferença, ela é urgente. Ela é real.

      bjs para a nossa orquídea, que Deula a conserve assim.

      Excluir
  5. Creio entender que leva muitos anos lutando em primeira fila pelos direitos do povo cigano, que neste momento está um pouco farta de muitas coisas, mas que é quando tropeça com as maiores dificuldades que sabe que está a avançar, e que forças não lhe vão faltar. Só lhe sei dizer que a respeito e admiro, e agradecer-lhe que no meio de tanto esforço não se esqueça de mim.
    Mando-lhes a todas o meu apreço e carinho, um grande beijo, e ADIANTE!
    P.S. Também roubei esta foto, sou uma ladrona...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por aqui como já roubou nosso coração, pode levar tudo querida Maria,
      Não me esqueço porque quando me falta a respiração, me lembro de frases, olhos, rostos e carinhos ... vc está sempre lá.
      Não é o tempo Maria, nem a quantidade de anos que se luta, é a ignorancia na sua mais pura ousadia. A ignorancia que gera violência.

      bjs muitossssssssssssss

      Excluir
  6. tem várias coisas na vida que a gente não controla. o que a gente pode controlar, é o nosso impulso de continuar lutando por aquilo que a gente acredita. essa parte você faz!

    :)

    beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Queridas amigas,
    Li esta postagem com um sorriso porque a luta é o que ressalta das voltas todas que a vida dá. As frustrações, as pequenas vitórias, os retrocessos tristes de quem tem que caminhar, a espiral a que todos estamos habituados porque às vezes voltamos ao ponto de partida. Todavia, o ponto de partida já não é o resultado de tanto trabalho realizado, já vão a meio do caminho o que me satisfaz.
    Beijinhos e a minha ausência deve-se ao muito trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Ana, empatamos em relação as ausencias, suas e nossas.
      Nais tukê por entrar dentro dos nossos corações e entender, estamos no meio mesmo. Torce aí, faz fita, reza, benze, toda ajuda ajuda.

      bjs grandes amiga.

      Excluir
  8. Sermos confrontados com a realidade normalmente não é fácil. E, mais difícil é quando esta realidade é feita de tanto sofrimento, tanta dor, tanta descriminação e humilhação.
    Antes fossem um povo em vias de extinção. Passo a explicar: é que os seres em vias de extinção são protegidos, acarinhados... certo?
    Vão-se mudando mentalidades e comportamentos. É um trabalho árduo, e os resultados não são a curto ou médio prazo. Bem pelo contrário...
    Mas não se pode deixar de caminhar! Por nós, pelos outros, pelo mundo.
    Coragem!
    Beijinhos para todas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cláudia, talvez o povo rromani não esteja em extinção, mas seus costumes e sua cultura estão. É isso que mata um povo. Enfim, não se pode deixar de caminhar. Por todos. Por Sara. Bjs muitos de todas nós.

      Excluir

Sejam todos bem vindos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves