DIA INTERNACIONAL DAS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO/PORAJMOS - 27 DE JANEIRO

 Para Cada Pessoa Há um Nome

Para cada pessoa há um nome
outorgado sobre ela por Deus,
a ela dado pelos seus pais.

Para cada pessoa há um nome
concedido pela sua estatura
e pelo seu sorriso
e pela sua forma de vestir.

Para cada pessoa há um nome
vertido pelas montanhas
e pelas paredes que a circundam.

Para cada pessoa há um nome
dado pela roda da Sorte
ou por aquilo que os vizinhos lhe chamam.

Para cada pessoa há um nome
inscrito pelas suas falhas
ou pelos seus desejos.

Para cada pessoa há um nome
entregue pelos seus inimigos
ou pelo seu amor.

Para cada pessoa há um nome
derivado das suas celebrações
e da sua ocupação.

Para cada pessoa há um nome
apresentado pelas estações
e pela sua cegueira.

Para cada pessoa há um nome
  que ela recebe dos mares
 e que lhe é dado pela sua morte.


Zelda, poeta israelita falecida em 1984. Este poema, Para Cada Pessoa Há um Nome, tornou-se sinônimo da necessidade de recordar as vítimas do Holocausto e anualmente é recitado em cerimônias oficiais em Israel e em muitas partes do mundo. No 27º dia do mês hebraico de Nisan, comemora-se o Yom HaShoah, o Dia Memorial do Holocausto. No dia 27 de janeiro de cada ano se comemora o Dia das vítimas do Holocausto/Porajmos Romani. Porque nem todos os que morreram eram Romá ou Judeus, mas, todos os Judeus e os Romani foram os eleitos dessa vergonhosa chacina. Porque não se pode esquecer a História.

Cozinha dos Vurdons

Comentários

  1. Queridas amigas,

    Para que não se esqueça NUNCA!!
    Tomei a liberdade de colocar este post no blog da livraria. Todas as vozes são poucas...
    Beijinhos para as 7

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cláudia,

      Naquela época existiram dois fatores decisivos para a implementação do horror nazista: o silencio e a brutalidade(medo) e o desconhecimento do que realmente estava para acontecer (os apreisionados desconheciam), apenas mais tarde é que as fulgas vieram a acontecer e os desmandos começaram a aparecer. Muitas pessoas, alemães, Franceses, judeus e romanis, dentre outros criaram as resistencias e começaram a dizer ao mundo que as coisas não poderiam acontecer. O povo Judeu, já rico, começou a precionar e o poder econômico cedeu. Muitos morreram porque muitos demoraram demais a agir.
      Hitler foi um gênio na indústria do medo, assim como Mao Tsé Tung na China. São muitos, foram e ainda são. Queira Deus que a maioria da humanidade compreenda que o silêncio e a omissão matam tanto quanto um rifle, tanto quanto uma bomba.

      A cozinha é sua, leve sempre o que quiser, para nós é um imenso prazer.

      bjs grandes de todas nós e nais tukê por tudo.

      Excluir
  2. SASTIPÊ,ROMIS! Excelente post!PARABÉNS! Temos que ser o alerta do despertar,a coragem de dizer palavras que iluminem as mentes;a esperança,a fé e a coragem de seguir adiante tendo um olhar retrospectivo,sensível, para o passado!Recordemos a dor,a injúria , as vidas dilaceradas e o horror sem medida, pelos quais nosso povo passou naqueles dias de caos e escuridão...Para que não aconteça novamente. Que Sara nos abençôe! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara Deus consigamos multiplicar os pensamentos Cezarina, entretanto somente com o conhecimento dos fatos e a preservação da história e cultura de todos os romanis no mundo é que alcançaremos a paz para os que se foram e a possibilidade de um futuro melhor para os que ficaram.

      Ando Sara - bjs de todas nós

      Excluir
  3. Priscila Paz Godoy27 de janeiro de 2012 11:12

    Para jamais esquecer!

    ResponderExcluir
  4. Nem sei o que escrever, dizer.
    O pensamento é doloroso demais.
    7 beijos brilhantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao invés de escrever, Carlota, mantenha seu coração limpo e livre de preconceitos, sendo sempre essa mulher e esse ser humano maravilhoso que você é. Se existissem mais pessoas assim, muitas coisas não teriam sentido de acontecer.

      bjs nossos para essa orquídea sempre em floração.

      Excluir
  5. Queridas amigas,
    Para cada pessoa há um nome, uma história como a que conta o poema. Muito bonita esta homenagem. Lembrar é uma obrigação para que não volte a acontecer tais actos mosntruosos.
    7 Bjs:)

    ResponderExcluir
  6. É isso Ana, refazer as estradas, mas, nunca esquecer os que tombaram na construção de um mundo mais igualitário.

    Bjs querida amiga, tal como Carlota e tantas outras que por aqui encontramos, o mundo seia desigual sem a presença de vozes. Nais tukê por existirem em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  7. Bonito.
    Um nome, uma vida, que nada nem ninguém pode apagar.

    7 beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom saber que esses nomes existiram, reforça a esperança de paz entre os homens.

      bjs de todas nós

      Excluir
  8. De facto não pode. Como não se pode esquecer que cada ser humano, Romani ou Judeu, negro ou branco, é uma pessoa. A usurpação da qualidade humana aos que foram perseguidos constitui, aliás, uma das ideologias mais proclamadas pelo Nazismo: a desqualificação das pessoas, reduzindo-as a uma categoria "inferior" de existência. Infelizmente este tipo de crença permanece nos dias de hoje e urge combater veementemente. Evoquemos, pois, os que injustamente padeceram para impedir que se perpetue a semente de tamanha injúria.

    Junto o meu apelo e evocação aos vossos e deixo-vos um abraço fraterno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acariciadas pelo seu abraço, reforçamos a doença nociva e degradante da superioridade. Mal que a muitos atinge e deve ser combatido com o entendimento do que é ser humano. Mais que etnia, cor ou qualquer outro nome que se queira dar, somos todos seres humanos.

      devlesa

      Excluir
  9. PS: Também no bibliofilia me associei a vocês. Na primeira caixa do lado direito adicionei um link para o vosso blogue. Perdoem-me a ousadia, a bem da causa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São ousadias assim que nos engrandecem e nos confortam a cada dia. Ouse querida R que nós apoiamos.

      bjs de todas nós.

      Excluir
  10. E nos calamos diante da verdade,
    e falamos diante da palavra,
    e não nos omitiremos diante da dor, do infortúnio e da hipocresia.

    devlesa rromí(s)

    repito aqui o deixaram no blog, pois nossos ideais são verdadeiramente irmãos.

    devlesa

    ResponderExcluir
  11. É absolutamente necessário não esquecer nunca o Holocausto como querem muitos alemães, cujos filhos já não sabem o que significa Auschwitz, mas sabem usar a palavra "judeu" como um insulto.
    De vez em quando temos de recordar por força, ainda que custe tanto, para honrar as vítimas e para ter presente até onde podem chegar a maldade e a loucura de alguns seres humanos — se é que podem chamar-se assim.
    Felizmente que também houve muitos heróis anónimos, gente generosa e valente, alguma conhecida, que nos deixou histórias maravilhosas que nos reconciliam com a vida e com a raça humana!
    Feliz fim de semana, beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Maria, no fundo é tanta gente que não sabe o que foi O holocausto que é assustador, vemos pelos comentários absurdos que temos recebido e que não colocamos no post. A imponência de muitos seres humanos tem custado vidas a fundo, não sei se o presidente da França se pronunciou sobre o dia 27 de janeiro, mas acredito que não tenha tido coragem de fazê-lo, e assim são outros tantos. A diminuição da pessoa como ser humano é tão absurda que devemos rever princípios antigos de superação para que isso não ocorra nunca mais.

    bjs e bom final de semana.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sejam todos bem vindos.

Postagens mais visitadas